10 de abr de 2013

A vitória do grande Casão



Sabe aquela festa na qual você tem certeza que terá acesso restrito a muitas coisas, enfrentará filas, tumulto e confusão - mas tem convicção que no final terá valido a pena?

Pois é... fui conferir o lançamento do livro do Casagrande ontem à noite, na Livraria Cultura da Avenida Paulista.

Como previ anteriormente, havia muita gente e muito tumulto. A fila para pegar o autógrafo era gigantesca e beirava o insuportável esperar ali por, no mínimo, 2 horas.

Passaram-se alguns minutos, descobri a parte dos jornalistas e lá me infiltrei. Sem ser percebido, fiquei ali no cantinho observando e fazendo minhas anotações. Enquanto isso, o ex-jogador assinava seguidos livros em um movimento quase que exaustivo.

Os famosos foram chegando e eu fui me aproximando. Galvão Bueno, Caio Ribeiro, Milton Leite, Leonardo Gaciba e os ex-jogadores Zé Maria, Wladimir e Ataliba foram algumas das estrelas que compareceram ao evento.



Mais para o final da noite de autógrafos, magnífica homenagem à coragem de um ídolo de se expor, sem medo do preconceito, consegui, de quebra, entrevistar um ex-juiz da Fifa e divulguei meu blog para alguns jornalistas como José Trajano (quem sabe ele não está lendo esse texto...).

Ali no meio da confusão, presenciei várias entrevistas - nas quais Casagrande era comparado com Sheik, Pato, etc... Com o detalhe, não custa lembrar, que nenhum deles teve trajetória corajosa como a do Casão, que jogou muita bola, criou a Democracia Corintiana junto com o Sócrates e, recentemente, se afundou nas drogas para renascer numa clínica com o apoio de amigos e da família, caminho que ele agora contou no livro.

Esperei até o final para tentar conversar com a estrela da noite, mas foi impossível. Mesmo assim, só o fato de estar ali presente foi algo muito bacana. De algum modo prestei minha homenagem ao antigo camisa 9 do Corinthians e da seleção, assim como os mais de 2 mil presentes.

Eu e o Guilherme Simões, amigo e companheiro, saímos recompensados da Livraria Cultura. Foi como se aprendêssemos alguma coisa com a bela história de Casagrande.

5 comentários:

Anônimo disse...

parabens gustavo gosto muito do seu site por favor continue

Anônimo disse...

parabens gustavo gosto muito do seu site por favor continue

Cunha disse...

aeeeee gu(e gui haha)!! parabens amei o texto como sempre. vc vai longe garoto...
bjss
cuuunha

Airton Gontow disse...

Muito bom Gustavo. Depois do Jardel, Alcindo, Pirata e todos os outros centroavantes do Grêmio, Casão é um dos melhores que vi. E teu texto, hein...estás virando um craque!!! Viva os gols de letra!!!

MURATA disse...

Gostei ! Murata