24 de abr de 2013

Nova era


Fiquei pensando por um tempo em alguma justificativa para vir aqui e explicar o motivo dessas históricas goleadas sofridas pelo Barça e pelo Real.

Supus uma possível falta de adversários fortes para que as equipes fossem testadas, possíveis problemas de elenco, a má fase de determinados atletas, o fato de terem jogado fora de casa, erros de arbitragem, dentre outros fatores. Tudo em vão.

O fato é que as equipes alemãs - sobretudo essas duas semi-finalistas - ultrapassaram as espanholas.

Barcelona e Real Madrid possuem, certamente, muito mais dinheiro e infra-estrutura do que Bayern e Borussia. Aí entra o ponto que citei em um de meus textos de umas semanas atrás: isso não é tudo.

É certo que as equipes alemãs possuem muito mais dinheiro do que muitas de suas rivais, mas não é por isso que estão brilhando. Ambas são MUITO organizadas, possuem um bom treinador, estudioso, e, aparentemente, não apresentam problemas com as estrelas.

O Real muito possivelmente deve ter briga de egos. Afinal, não é em qualquer elenco que se tem Kaká no banco de reservas, por exemplo.

Lewandovski, o autor dos 4 gols alemães na partida de hoje, vale cerca de 6 milhões de euros. Para situar vocês, o Wesley, que agora está no Palmeiras, vale 8 milhões. Em suma: será que dinheiro é tudo isso? Resolve absolutamente tudo? Não - nem no mundo fora do futebol.

Muito possivelmente Wembley receberá, em maio, duas equipes alemãs para disputar a final. Não veremos, portanto, o tão sonhado clássico espanhol na finalíssima.

A Champions League, as TVs, todos perderão dinheiro com isso. No entanto, terão de se adaptar a esse novo cenário. Outras equipes que não Barcelona estão crescendo e isso não é de hoje. Os merengues e os catalães não são mais as equipes a serem batidas. Por ora, o melhor futebol do mundo é o alemão.

Mesmo que uma das equipes virem o placar - o que é bem difícil -, é fato que estamos no início de uma nova era - e que, a princípio, promete dominar a Europa por um bom tempo...

0 comentários: