28 de mar de 2013

Como salvar o Palmeiras?


Não importa se você está na Série B ou não, se está totalmente falido e desestruturado, nada disso conta. Um time grande, com um passado repleto de conquistas e uma torcida apaixonada, não pode ser goleado e humilhado como o Palmeiras foi ontem a noite.

Talvez nem eu nem vocês estejamos entendendo a dimensão do que de fato aconteceu: o Palmeiras foi trucidado e virou saco de pancadas do Mirassol. Com todo respeito, como que isso pode ocorrer com esse tipo de adversário? Que time é esse?

Se fosse eu os dirigentes, mandaria todo mundo que participou dessa tragédia embora. Técnico, jogadores, comissão técnica... todos. O vexame foi histórico. Nunca antes uma equipe considerada grande havia sofrido 6 gols em apenas um tempo contra uma equipe tão modesta.

Certamente não terão coragem de colocar todo mundo na rua, e recomeçar do zero, porque estão tentando construir um planejamento e se reerguer no futebol. Mas se seguir nesse caminho, a jornada palmeirense em 2013 pode se tornar ainda mais devastadora do que foi em 2012, com a queda para a série B.

A situação está tão grave que o palmeirense não possui mais argumento para debater com o seu rival. Depois do que foi visto ontem a noite, com base no que eles vão se defender? Se perderam de 6 a 2 para o Mirassol, o que mais eles podem argumentar?

Admito que estou com pena dos torcedores alviverdes. Estão sofrendo muito e, nessa altura do campeonato, os protestos são válidos - desde que em suas devidas proporções, sem violência, evidentemente. 

Além disso, são taxados frequentemente como "Guarani da Capital", numa referência ao time esmeraldino de Campinas, que foi campeão brasileiro nos anos 70 e hoje anda aos trancos e barrancos - assim como o Pameiras dos anos 2000.

Enfim, a situação alviverde é insustentável. A alteração já era pra ter surgido - mas de fato, nada mudou.

A antiga Academia do Parque Antártica vai de mal a pior. Até quando? O time e sua torcida não merecem. É preciso resgatar uma história vencedora.

0 comentários: