26 de mar de 2013

Normalidade


Normal é você estar em um começo de trabalho e conviver com resultados ruins, como é o caso de Felipão na Seleção Brasileira. Afinal, o processo está apenas começando e, vide o exemplo de sua primeira passagem como comandante dos canarinhos, se começarmos mal e no ano seguinte conquistarmos o título de campeão do mundo, o problema está resolvido.

Anormal é você ter um craque de bola que arrebenta no futebol brasileiro, é cotado para muitas equipes europeias, mas na Seleção não passar de um jogador comum. Lógico, estou falando do Neymar.

Ele é diferente dos outros e talvez por isso exista uma cobrança maior. Já foi o tempo de se adaptar a Seleção e está mais do que na hora dele mostrar o futebol de sempre. Se o jovem está no foco de equipes como Barcelona, Real Madrid, Bayern, entre outros, não é à toa.

O problema não é ser apenas um jogador como outro qualquer, mediano. Nesse quesito o mundo inteiro está cheio, inclusive nas equipes que representam seus países. No entanto, Neymar é mais do que isso. Ele tem um talento fora de série e isso não adianta nem questionar; seja você corintiano ou santista, brasileiro ou argentino, entramos em um consenso ao falar sobre seu talento.

Porém, para que ele possa crescer no futebol, alguns conceitos em sua cabeça devem ser mudados - tanto dentro quanto fora de campo.

O termo mais famoso e que rende mais "puxões de orelha" a Neymar é a fama de cai-cai. De fato, ele se joga quando não é necessário. Porém, quanto a isso, sua melhora é nítida e evidente; mesmo assim, ainda está abaixo dos demais. (veja o vídeo abaixo e entenda melhor):



Ao mesmo tempo, o atacante é cobrado diversas vezes por menosprezar o adversário.

Ele não é bobo, assim como eu e você não somos. Todos sabemos que ele provoca mais do que o necessário. Coisa normal, de futebol.

Mas isso, para um jogador profissional, pode acabar tirando o foco. As vezes, é preferível você pensar em evoluir na tática e desempenhar seu papel dentro campo do que irritar o adversário.

O exemplo mais claro acontece quando ele para a bola na lateral e fica lá, passando o pé sobre ela. Por que não vai pra cima, em busca de uma rápida definição da jogada? O nome disso é de conhecimento geral para a maioria: objetividade. Ou em seu caso, a falta dela.

Resumo da ópera: jogadores ordinários temos muitos. Ele, no entanto, é diferente, privilegiado. Pode e deve usar e abusar desse talento. Para que a Seleção Brasileira atue melhor, seu desempenho é fundamental. Portanto, Neymar, deixe um pouco a marra de lado. Tire o foco de como pentear o cabelo e pense somente no futebol. Na maioria das vezes, ela não é necessária.

Com seu talento, seremos campeões do mundo! E digo mais: Neymar será o craque da Copa! Mas para isso, é necessário evoluir. Comece a partir de já.

1 comentários:

Anônimo disse...

Falta maturidade, coisa que o Messi tem. Talvez se se preocupasse menos com o cabelo...